DESENHO GEOMÉTRICO - EXERCÍCIOS DAS AULAS TEÓRICAS


          Boa Noite! 1/10/2014 - 23:40:7

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS - "CÔNICAS"

ANIMAÇÕES DOS EXERCÍCIOS
(Coloque o cursor sobre as setas):

       VEJA ABAIXO: a explicação "passo a passo".
       VEJA AO LADO: texto para impressão.
       VEJA ESTA PÁGINA : SEM FRAMES

1. ENCONTRAR OS FOCOS DE UMA ELIPSE SENDO DADOS O EIXO MAIOR E O MENOR.

Sejam os eixos AA' e BB' dados que se intersectam no ponto O (centro da elipse).

Coloque a ponta seca do compasso no ponto B e com abertura igual à OA trace um arco que corte o eixo AA' , encontrando assim os pontos F e F' (focos da elipse).

Os pontos F e F' são os focos da elipse.

2. ENCONTRAR O EIXO MENOR DE UMA ELIPSE SENDO DADOS O EIXO MAIOR E A DISTÂNCIA ENTRE OS FOCOS.

Sejam dados o eixo AA' e a distância focal FF'.

Trace a mediatriz de AA' encontrando assim o centro O da elipse.

Centre a ponta seca do compasso no ponto F e com abertura igual à OA trace um arco que corte a reta mediatriz nos pontos B e B'.

O eixo menor procurado é o segmento BB'.

3. ENCONTRAR O EIXO MAIOR DE UMA ELIPSE SENDO DADOS O EIXO MENOR E A DISTÂNCIA ENTRE OS FOCOS.

Seja o eixo menor BB' e a distância focal FF' dados que se intersectam no ponto O (centro da elipse).

Prolongue o segmento FF' para a esquerda e para a direita.

Coloque aponta seca do compasso em O e com abertura igual à distância FB trace um arco que corte a reta que passa por FF' em A e A', encontrando assim o eixo maior da elipse.

4. TRAÇAR UMA ELIPSE PELO MÉTODO DO JARDINEIRO (BARBANTE) SENDO DADOS O EIXO MAIOR E OS FOCOS.

Sejam dados o eixo maior AA' e a distância focal FF'.

Corte um barbante que tem por comprimento a distância do eixo maior AA' e fixe-o em F e F'. Coloque a ponta do lápis no ponto B tomando o cuidado de esticcar o barbante.

Movimente o lápis sempre com o barbante esticado de forma a marcar vários pontos no papel.

 

Em seguida trace a elipse movimentando o lápis que se encontra preso no ponto B do barbante.

 

Este processo do jardineiro é assim chamado por que pode ser utilizado na construção de elipses em jardins e outras áreas maiores com o uso de barbante e estacas.

5. TRAÇAR UMA ELIPSE PELO MÉTODO DE "SCHOOTEN" (TIRA DE PAPEL) SENDO DADOS OS DOIS EIXOS.

Sejam dados os eixos AA' e BB'. Corte uma tira de papel como indicado abaixo, e marque nela os pontos P, A e B. O segmento PB deve ser igual ao eixo maior e o segmento PA deve ser igual ao eixo menor.

Coloque a tira de papel posicionada de tal forma que o ponto A fique sobre o eixo AA' e o ponto B fique sobre o eixo BB' e marque um ponto onde estiver o ponto P.

Mude a posição da tira de papel, mas tomando o cuidado de deixar o ponto A sempre sobre o eixo AA' e o ponto B sempre sobre o eixo BB'.

Assim vá mudando sucessivamente a posição da tira e marcando os pontos da elipse.

Ao marcar todos os pontos, trace a elipse.

Ao ligar todos os pontos teremos a elipse.

6. TRAÇAR A ELIPSE PELO MÉTODO DOS PONTOS SENDO DADOS OS DOIS EIXOS.

Sejam os eixos AA' e BB' dados.

Encontre os focos F e F'.

Marque a partir do ponto F os pontos 1, 2, 3, 4, 5 e a partir do ponto F' os pontos 1', 2', 3', 4' e 5'.

Coloque a ponta seca do compasso no ponto F e com abertura igual a 1'A' , 2'A', 3'A', 4'A' e 5'A' trace cinco arcos.

Com centro em F' e abertura 1A , 2A, 3A, 4A e 5A trace os arcos.

Com centro em F' e abertura 1A' , 2A', 3A', 4A' e 5A' trace arcos que cortam os anteriores encontrando assim os pontos da elipse.

Com centro em F e abertura 1'A , 2'A, 3'', 4'A e 5'A trace arcos que cortam os anteriores encontrando assim os pontos da elipse.

Ligue os pontos encontrados traçando assim a elipse.

7. TRAÇAR A ELIPSE PELO MÉTODO DOS CÍRCULOS PRINCIPAIS SENDO DADOS OS DOIS EIXOS.

Sejam os dois eixos AA' e BB'. Encontre os Focos F e F'.

Trace um dos círculos principais: centre o compasso no ponto O e trace uma circunferência de raio OA.

Trace o outro círculo principal com centro em O e raio OB.

Divida o círculo maior em n partes iguais (N = 16, por exemplo).

Divida o círculo menor no mesmo número de partes. Em seguida, trace retas perpendiculares ao eixo AA' pelos pontos que dividem a circunferência maior.

Em seguida trace retas perpendiculares ao eixo BB' pelos pontos que dividem a circunferência menor.

Na interseção das retas temos os pontos da elipse.

Ligue os pontos para obter a elipse.

Veja a elipse construída.

 

8. TRAÇAR A ELIPSE PELO MÉTODO DO PARALELOGRAMO.

Sejam os dois eixos AA' e BB' da elipse inscrita no paralelogramo que tem os lados iguais aos eixos maior e menor da elipse: AA' e BB'.

Trace o paralelogramo PQRS.

Divida o lado RS em seis partes iguais.

Divida o lado PQ em seis partes iguais transportando os pontos 2, 1 e 1', 2' (com o uso dos esquadros) fazendo paralelas aos lados PS e QR.

Divida os segmentos OB e OB' em três partes iguais cada um.

Então, temos no paralelogramo os lados SR e PQ divididos em 6 partes iguais e o segmento BB' em 6 partes iguais.

Para obter os pontos da elipse ligue o ponto A ao ponto 2''' e o ponto B ao ponto 3 e prolongue até encontrar o segmento A2'''. No cruzamento dessas duas retas têm-se um ponto da elipse. Em seguida, ligue o ponto A ao ponto 1''' e o ponto B ao ponto 4 e prolongue até encontrar o segmento A1'''. No cruzamento dessas duas retas têm-se mais um ponto da elipse.

Repita o mesmo procedimento para as outras três partes do paralelogramo obtendo assim, todos os pontos da elipse.

Veja a elipse inscrita no paralelogramo.

9. TRAÇAR A ELIPSE PELO MÉTODO DO RETÂNGULO.

Trace os eixos AA' e BB' da elipse inscrita no retângulo cujos lados são AA' e BB'.

Trace o retângulo PQRS.

Divida os lados do retângulo em n partes iguais (no caso n = 6)

Transporte essas 6 divisões para o eixo BB' e em seguida trace retas partindo de A' que chegam nos pontos do lado SR e depois trace retas que partem de A e passam pelas divisões do eixo BB'. No cruzamento das retas teremos os pontos da elipse.

Ligue os pontos encontrados obtendo assim a elipse.

10. ENCONTRAR O FOCO DE UMA PARABOLA, SENDO DADOS O EIXO, A DIRETRIZ E O VÉRTICE.

Sejam a diretriz d e o vértice V contido no eixo da parábola.

Centre o compasso no ponto V e com abertura VO trace um arco que corta o eixo no ponto F.

As distâncias OV e VF são semi-parâmetro e a distância OF é o parâmetro.

11. TRAÇAR A PARÁBOLA PELO MÉTODO DOS PONTOS, SENDO DADOS O FOCO E A DIRETRIZ.

Sejam dados a diretriz e o foco da parábola. Para construir a parábola, primeiro encontre o vértice que está no ponto médio do segmento FO que é a distância entre o foco e a diretriz.

Marque pontos no eixo a partir de F (no caso 5 pontos a uma distância arbitrária).

Trace retas perpendiculares ao eixo pelos pontos F, 1, 2, 3, 4 e 5.

Centre a ponta seca do compasso no ponto F e com abertura igual à distância do ponto F até a diretriz, trace um arco que corte a reta que passa pelo ponto F em dois pontos da parábola.

Depois, sempre com a ponta seca do compasso no ponto F e com abertura igual à distância que vai do ponto escolhido até a diretriz d, trace arcos que cortem as retas que passam por esses pontos, encontrando assim os pontos da parábola.

Ligue os pontos obtendo a parábola (em cor azul).

12. TRAÇAR A PARÁBOLA PELO MÉTODO DO RETÂNGULO, SENDO DADOS O VÉRTICE, O EIXO E UM PONTO DA CURVA (ARCO PARABÓLICO).

Seja o vértice A e o ponto P da parábola.

Seja o vértice A e o ponto P da parábola. Trace duas retas perpendiculares entre si e que passam pelo ponto A. Em seguida, trace uma reta pelo ponto P que seja perpendicular à reta horizontal que passa pelo ponto A.

Trace uma reta paralela àquela que passa pelo ponto P, a uma mesma distância.

Depois, trace pelo ponto P uma reta paralela à reta horizontal que passa pelo ponto A, formando assim o retângulo PP'RR'.

Divida os lados PR e P'R' em n partes iguais (no caso n = 4).

Divida os segmentos PQ e QP' em quatro partes iguais.

Trace retas perpendiculares ao lado RR' pelos pontos 4, 5, 6, 6', 5' e 4'.

Ligue o ponto A aos pontos 1, 2, 3 e 1', 2' e 3'.

Na intersecção das retas têm-se os pontos da parábola.

Ligue os pontos obtendo assim a parábola inscrita no retângulo.

A parábola em cor azul.

13. TRAÇAR AS "ASSINTOTAS" DE UMA HIPÉRBOLE SENDO DADOS OS EIXO REAL E IMAGINÁRIO.

 

Sejam os eixos AA' e BB'.

Trace por B e B' retas paralelas ao eixo real AA'.

Trace por A e A' retas paralelas ao eixo imaginário BB'.

Construído o retângulo, trace as duas diagonais.

Agora, prolongue as diagonais do retângulo.

As assíntotas da hipérbole passam pelas diagonais do retângulo.

14. ENCONTRAR OS FOCOS DE UMA HIPÉRBOLE SENDO DADOS O EIXO REAL E O EIXO IMAGINÁRIO.

Sejam dados os vértices AA' que se encontram no eixo real xx' e o eixo imaginário BB'.

Centre o compasso no ponto O (que está na interseção dos dois eixos) e com abertura igual à distância AB trace um arco que corte o eixo real nos pontos F e F' encontrando assim os focos da hipérbole (F e F’).

15. ENCONTRAR O EIXO IMAGINÁRIO BB' DE UMA HIPÉRBOLE SENDO DADOS OS FOCOS E O EIXO REAL AA'.

Sejam dados o eixo imaginário BB', a distância focal FF'. Pede-se encontrar o segmento AA' (vértices da hipérbole) conhecido por eixo real.

 

Centre a ponta seca do compasso no ponto O e com a distância FB trace um arco que corte o eixo real nos pontos A e A' que são os vértices da hipérbole.

 

16. ENCONTRAR O EIXO REAL AA' DE UMA HIPÉRBOLE SENDO DADOS O EIXO IMAGINÁRIO BB' E A DISTÂNCIA ENTRE OS FOCOS.

Sejam dados a distância focal e o eixo imaginário BB'.

Para encontrar os vértices AA' da hipérbole, centre a ponta seca do compasso no ponto B e com raio igual à distância OF trace um arco que corte o eixo real nos pontos A e A'.

Observe os pontos A e A' encontrados.

17. TRAÇAR A HIPÉRBOLE PELO MÉTODO DOS PONTOS SENDO DADOS OS DOIS EIXOS.

Sejam dados o eixo imaginário BB', os vértices AA' e os focos FF' da hipérbole.

Marque a partir do ponto F para a esquerda os pontos 1', 2' e 3'. Marque a partir de F' para a direita os pontos 1, 2 e 3.

Centre o compasso no ponto F e com abertura igual à A'1, A'2 e A'3 trace três arcos.

Proceda da mesma forma do outro lado centrando o compasso em F'.

Agora com a ponta seca do compasso em F e com abertura igual a 1A, 2A e 3A trace arcos que cortam os anteriores encontando assim os pontos de um ramo da hipérbole.

Proceda da mesma forma do outro lado centrando o compasso em F'.

Ligue os pontos obtendo assim os dois ramos da hipérbole.

Observe os ramos da hipérbole em cor azul.

18. TRAÇAR A HIÉRBOLE PELO MÉTODO DOS RETÂNGULOS SENDO DADOS OS EIXOS E UM PONTO DA CURVA (ARCO HIPERBÓLICO).

Sejam os vértices A e A' e um ponto P da hipérbole e seus dois eixos: real e imaginário.

Trace por P uma paralela ao eixo real e uma paralela ao eixo imaginário e com os valores PP1 e PP3 construa o retângulo P,P1,P2,P3 encontrando os pontos A e Q' no eixo imaginário.

Trace pelos pontos A e A' retas paralelas ai eixo imaginário encontrando R, R', R'' e R'''.

Divida o segmento P1R em n partes iguais (no caso n = 4). Em seguida divida os segmentos QP1 e QP2 também em quatro partes iguais.

 

Transporte com os esquadros estas divisões para os outros lados paralelos dos retângulos.

Ligue o vértice A aos pontos do segmento PP3.

 

Ligue o vértice A' aos pontos dos segmentos PR'' e P3R''' encontrando na interseção das linhas os pontos de um dos ramos da hipérbole.

Repita o mesmo procedimento do outro lado para encontrar o outro ramo da hipérbole. Ligue A' ao pontos de P1P2.

Ligue A aos pontos de P1R e P2R' e na interseção das linhas marque os pontos.

Os dois ramos da hipérbole aparece em cor azul.

Observe a hipérbole.

19. DETERMINAR O CENTRO, OS EIXOS E OS FOCOS DE UMA ELIPSE DADA.

Seja a elipse dada abaixo.

Trace uma reta secante que corta a elipse em dois pontos A e B.

Trace outra reta secante que seja paralela à primeira e corte a elipse nos pontos C e D.

Encontre os pontos médios M e M' das cordas AB e CD respectivamente.

Ligue os pontos M e M' encontrando o diâmetro DD'.

Encontre o ponto médio O do diâmetro DD'.

 

Centre o compasso em O e com um raio arbitrário trace um arco que corte a elipse em 3 pontos: H, I e J estabelecendo as cordas HI e IJ da elipse.

O eixo maior AA' da elipse será a mediatriz da corda IJ o eixo menor BB' da elipse será a mediatriz de HI.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRAGA, Theodoro. Desenho Linear Geométrico. São Paulo : Ícone. 13° ed. 230 p.

MELLO E CUNHA, G. N. de. Curso de Desenho Geométrico e Elementar. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 460p, 1951.

RIVERA, Félix ; NEVES, Juarenze; GONÇALVES, Dinei (1986). Traçados em Desenho Geométrico. Rio Grande: editora da Furg, 389 p.

CRÉDITOS

Desenhos construídos por Enéias de Almeida Prado (Aluno do curso de Mat-UEL) e revisada por Maria Bernadete Barison (Profa. do Depto. de Mat-UEL).

 

1R Retas
2R Ângulos
3R Segmentos
4R Proporção
5R Circunferência
6R Tangência
7R Concordância
8R Arcos

9R Cônicas
19 Exercícios

versão para impressão

10R Triângulos
11R Polígonos
12R Malhas